RESULTADOS DAS ELEIÇÕES MUNICIPAIS.

Estamos reiniciando as publicações no nosso blog, uma atividade prazerosa, na qual  podemos dividir com os visitantes as nossas ideias, pensamentos e projetos. Me permito, em nome de uma amizade antiga, publicar em boa hora e no calor do momento político que vive nossa Paracuru, a crônica de autoria do Dr. José do Vale Pinheiro Feitosa, cujo título acima abre uma análise precisa do nosso momento político atual. (Carlinhos Albuquerque)

CRÔNICA SOCIEDADE E POLÍTICA

Por: Dr. José do Vale Pinheiro Feitosa (Narração em áudio no player abaixo)

Toda sociedade é política e a política modifica a sociedade. Domingo dois de outubro de 2016 estavam aptos para votar em todos os 5569 municípios brasileiros, o total 144.088.912 eleitores. Esta foi expectativa de votos que tivemos nestas últimas eleições. Porém 25.330.431 eleitores não compareceram às eleições. Ou seja, do universo de eleitores aptos a votar, 17,58% dos eleitores não compareceram às urnas para exercer seu direito ao voto.

É importante considerar que entre as abstenções possíveis ou seja, eleitores que não compareceram para votar, há no total de eleitores, mais de 12 milhões tinha de 70 anos e mais, quando não existe mais a obrigação de votar. As abstenções ao voto foram maiores nas grandes capitais e os estados com maiores índices de abstenções foram Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo e os de menores foram Piauí, Paraíba e Santa Catarina. Em nove cidades faltaram à votação mais de 30%, a maioria no Estado de Minas Gerais.

Em nove capitais, Porto Alegre (RS), Porto Velho (RO), Curitiba (PR), São Paulo (SP), Campo Grande (MS), Rio de Janeiro (RJ), Belo Horizonte (MG), Cuiabá (MT), Aracaju (SE) e Belém (PA), o total de abstenções, votos nulos e brancos superaram o número de votos obtidos pelos candidatos colocados  em primeiro lugar.

As atuais eleições em Paracuru foi praticamente a reedição das eleições de 2012 em termos de candidatura a prefeito, havendo a mesma polarização entre Ribeiro e Sidney. Pelo menos a polarização nos primeiros colocados, mas como veremos mais adiante esta eleição foi muito diferente é um aspecto. Por enquanto vamos ficar nos números do pleito e peço ao ouvinte que preste atenção pois citaremos muitos números, porém tentaremos interpretar os mesmos.

Em Paracuru estavam aptos para votar 30.046 eleitores, houve a abstenção, ou seja, deixaram de comparecer para votar 4.367 eleitores que correspondem a 14,53% do total de eleitores. Portanto votaram nestas eleições 25.679 eleitores, sendo que 402 (1,57%) eleitores votaram em branco e 1.116 (4,36%) anularam o voto. Ou seja, o total de abstenções, votos em branco e votos nulo foi de 5.885 eleitores. Desse modo o total de votos válidos em Paracuru foi de 24.158 votos ou seja 80,4% do total de eleitores aptos ao voto. Considere que 2459 eleitores têm mais de 70 anos que correspondem a 8,18% dos eleitores onde o voto é facultativo, de modo que o eleitor não é obrigado a comparecer para votar.

O candidato vitorioso, Ribeiro, obteve 9778 votos, ou seja 40,48% dos votos válidos f 35,2% do total de eleitores aptos para votar. Os demais candidatos, Sidney Gomes obteve 7.582 votos, que é 31,39% dos votos válidos e 25,2% do total de eleitores e o candidato Beim obteve 6.798 votos, que corresponde a 28,14% dos votos válidos e a 22,6% do total de eleitores. Nas eleições de 2016 tivemos a repetição de dois candidatos na disputa eleitoral, Ribeiro e Sidney Gomes, agora invertendo as posições em relação aos eleitores.

Vamos fixar os números para compreendermos melhor os resultados.  Nas eleições atuais o total de votos válidos foi 24.158 votos e nas eleições de 2012 os votos válidos foram de 21.572 votos, uma diferença, portanto, de 2.586 o que significa um crescimento entre 2012 e 2016 de 12% no percentual de votos válidos.

Nas eleições de 2012 o candidato Sidney Gomes foi eleito prefeito por 58,27% de um colégio eleitoral menor, com 12.571 votos assim nas atuais eleições ele perdeu 4.989 votos, ou seja, uma diferença de 40% entre aquela eleição e a atual. Assim comparando os 28,14% dos votos válidos que obteve nas atuais eleições com os 58,27% das eleições passadas, o candidato Sidney Gomes reduziu sua participação em mais do que a metade.

Nas eleições de 2012 o candidato Ribeiro, obteve 8.699 votos, ficando em segundo lugar com 40,33% dos votos válidos. Sei que estamos falando em muitos números, mas fiquemos com a seguinte ideia: o candidato Ribeiro foi eleito nas eleições atuais com 40,48% dos votos válidos, praticamente a mesma percentagem que obteve nas eleições passadas e isso é muito claro pois o total de votos que ele obteve entre a eleição de 2012 e a atual teve um acréscimo relativamente pequeno, de 1.079 votos ou seja, 12% de crescimento. Como vimos o candidato Ribeiro praticamente foi eleito pelo mesmo colégio eleitoral das eleições passadas, até o acréscimo de votos que obteve é vegetativo e não relativo.

Então houve uma novidade nesta eleição de 2016. Esta novidade foi o candidato Beim. Candidato que nas eleições de 2012 saiu como candidato a vice-prefeito na chapa do Ribeiro. Para relembrarmos as eleições de 2015 os candidatos terceiro e quarto lugares, Dr Morais e Zazá obtiveram tão somente 1,4% dos votos válidos. Assim podemos compreender que o colégio eleitoral do candidato Beim migrou dos votantes do Sidney Gomes e do crescimento do eleitorado.

Observemos alguns números: o candidato Sidney Gomes perdeu entre uma eleição e outra 4.989, quase cinco mil votos, o crescimento do eleitorado foi de 2.589 em termos de votos válidos. O total de votos do Beim foi de 6.798, o que significa herdou os votos antigos do Sidney e parte do crescimento do eleitorado em Paracuru. O certo é que Ribeiro não recebeu os votos daqueles que votaram no Sidney coisa que o Beim conseguiu.

Tenho dito com alguma frequência que as eleições escolhem a situação e a oposição. Mas recebo, também, a crítica de que isso não reflete a realidade pois o que vale mesmo é o poder. Poder da caneta. De mandar. O estilo do eleito. Mesmo que sejam argumentos fortes mantenho a minha posição. Não existe poder forte num processo democrático como o brasileiro. O prefeito é cercado de outros poderes concorrentes como a Câmara de Vereadores, a Justiça e promotoria, além dos chamados tribunais de conta. Mas tem um juiz mais forte e poderoso que todos que é o eleitor e o eleitor é o que estamos comentando aqui nesta crônica. Em outras palavras, a oposição é como o candidato eleito, só não existe quando abdica do seu papel. Se a oposição não funcionasse não teríamos os resultados atuais, inclusive com a novidade que é o Beim.

O voto do eleitor é quem escreve a história do poder público. Na Câmara de Vereadores entre os eleitos na primeira lista em 2012 e 2016 estão apenas dois vereadores, Magão e Genival se encontram nas duas. Onze vereadores eleitos são novos, porém não podemos perder de vista que a renovação tem um peso muito grande dos vereadores eleitos em vários mandatos e de lideranças políticas como o caso da Zefa do Oseas que já fora veradora, da Rachel do Noca, do Mauro do Zé Guajá, Domenico da Hobby Centera e do Roberto do Pessoa.  O vereador Eliabe foi eleito agora vice-prefeito. Roberto Patrício que ficou fora dos eleitos na primeira lista deste ano, obteve mais votos nas eleições atuais do que na passada, mas por causa do coeficiente eleitoral de cada partido ficou fora.

Assim se escreve a história do povo porque toda sociedade é política e a política transforma a sociedade.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s